Adriano Ferreira

Página Inicial

Projeto de Desenvolvimento do Tênis no Interior

Dois grandes nomes do esporte conectam Ribeirão Preto e São Carlos numa junção de esforços e conhecimento na busca pela formação de bons tenistas e ótimos cidadãos.

Projeto lançado no mês de abril durante o Ribeirão Tennis Classic.

Não há como escapar da aceleração ininterrupta dos meios de comunicação de massa. As informações chegam em forma de avalanche e a todo momento. O esporte não poderia deixar de se adequar a essa realidade cada vez mais latente... Quem não busca novidades e atualizações, certamente está fora de qualquer mercado de trabalho.

Nesse cenário de constantes evoluções, o tênis no interior de São Paulo vai poder contar com uma parceria inédita de dois exímios profissionais que fazem uma fusão de conhecimento e experiência para elevar o nível competitivo da modalidade no país.

Adriano Ferreira um dos principais jogadores do Brasil da década de 90, proprietário da AF Sports, uma empresa radicada em Ribeirao Preto a mais de 10 anos, atuando nas áreas de inclusão social (Joga Tenis Ribeirao), trabalho de base (Escolinha Guga) e treinamento para competição (AFTT), além de outras vertentes como aulas sociais e promoção de eventos.

Elson Longo, especialista em biomecânica, tutor da CBT e ITF, dirige o Centro de Formação e Rendimento (CFR) em São Carlos, onde treinam mais de dez jogadores ranqueados pela ATP. Nomes como Caio Zampieri, Fernando Romboli, Ricardo Hocevar e Nicolas Santos encabeçam a equipe composta de 30 jogadores que disputam torneios internacionais e profissionais.

Adriano Ferreira e Élson Longo trazem muita bagagem de décadas a serviço do tênis brasileiro e agora, além disso, vão somar as estruturas de dois centros de treinamento num trabalho inédito no país.

Em Ribeirão Preto a base do projeto será a Sociedade Hípica com (6) quadras a disposição e que, inclusive, já são utilizadas pela equipe Adriano Ferreira. E em São Carlos o local de treinos será o Centro de Formação e Rendimento.

O principal objetivo dessa união de dois expoentes do tênis brasileiro é aproveitar o conhecimento acumulado em muitos anos de circuito e colocar em prática uma ferramenta que, nas últimas três décadas, alavancou o tênis espanhol e argentino em caráter quantitativo e qualitativo, que é:

O intercâmbio de informações.

Aproveitando a pequena distância entre as cidades de Ribeirão Preto e São Carlos, cerca de uma hora de carro, os tenistas poderão participar de treinos tanto na Sociedade Hípica, como também no Centro de Formação e Rendimento. Intercalando os atletas e as equipes de treinadores para alcançar melhores resultados.

A célula de Ribeirão Preto comporta primordialmente ações de iniciação e introdução ao tênis, com os projetos sociais e escolinha GUGA; a especialização e introdução à competição na modalidade, praticada por adolescentes; encaminhamento à universidades americanas e torneios juniores de excelência, para jogadores que findam o ciclo escolar.

A célula de São Carlos complementa esta trajetória esportiva, atendo-se a transição de jogadores para o profissionalismo e impulsionando jogadores profissionais consolidados às esferas superiores.

Somando-se as duas áreas de atuação, os dois centros de treinamento vão englobar desde a criança de 04 anos que aprende a segurar a raquete até tenistas que competem em eventos Grand Slam.

Esta abrangência plena do eixo tenístico gera um alcance ilimitado de ações de desenvolvimento. Os tenistas profissionais do CFR estarão interagindo com os jovens jogadores da AF SPORTS, em ações coordenadas, servindo de referência e incentivo à estes jogadores mais jovens e em formação.

Em contra partida, a AF SPORTS, através de Adriano Ferreira, estará imbuída de aplicar um plano de captação de recursos e organização de carreiras a estes jogadores profissionais.

O agenciamento destes jogadores, embalada pela ampla experiência de Adriano, será mais um importante impulso dado a estes tenistas. Segundo Elson Longo, esta fusão pode ser decisiva para as carreiras destes renomados jogadores: “A grande limitação que estamos enfrentando é a falta de recursos para nossos principais jogadores poderem seguir um calendário correto, a aproximação do Adriano ao grupo, buscando formas de patrocínio e apoio, tem grande potencial de solucionar dificuldades. Entendo que ele pode contribuir muito no gerenciamento e organização da carreira de cada um deles, sendo um agente esportivo, uma entidade que até agora o CFR não teve em sua estrutura. Somando nossas forças, numa entrega constante a estes jogadores, tenho certeza que podemos ir muito além”.

Todas as cadeias e ramificações do cenário competitivo nacional e internacional serão englobadas pelo projeto. Desde programas específicos de tênis para crianças carentes e que não necessariamente precisam alcançar um alto nível de competitividade; passando pelas franquias da Escola Guga Kuerten; chegando aos campeonatos de base da Federação Paulista; Confederação Brasileira de Tênis e torneios da ITF e ATP.

Durante as competições, dentro ou fora do Brasil, os tenistas serão sempre acompanhados por profissionais das equipes multidisciplinares das duas unidades de treinamento do projeto.

As cidades de Ribeirão Preto e São Carlos tem o privilégio de receber um projeto que ambiciona uma mudança, não só de qualidade, mas de mentalidade do tênis brasileiro. Para que possamos produzir, nas categorias de base, atletas em escalas massificadas e preencher o circuito de grandes tenistas e a sociedade de grandes cidadãos.